Pesquisar este blog

14.5.15

Cheng-Pong 832


EXEMPLAR ORIGINAL EM PDF

Frase: Melhor morrer de azia do que de barriga vazia.

DISTRAÇÃO
O amigo encontra outro com a cabeça quebrada.
- Que foi isso, cara?
- Quebrei a cabeça num poste numa hora de distração.
- Puxa, mas que jeito de se distrair!

PIOLHO
A professora pergunta:
- Por que você está coçando tanto a cabeça, Joãozinho?
O garoto responde:
- É por causa de um piolho morto, fessora!
- Tudo isso por causa de um piolho morto?!
Ele responde:
- É que os parentes dele vieram para o velório!

FELIZ
Diz um para o amigo:
- Sempre que te vejo passeando com a sua mulher e com a sua sogra, não imagina  como fico feliz!
O amigo:
- Obrigado. Eu sei que você  é um verdadeiro amigo.
O outro:
- E solteiro…

LIVRO DE PRESENÇA
O turco Musatafa foi num velório de um conhecido e reparou que as pessoas assinavam um livro logo na entrada. Um cara explicou:
-Seu Mustafá, aquele é o livro de presença, todos que vem homenagear o defunto assinam.
Ele foi lá e assinou também.
-E depois o que fazem com o livro? - perguntou Mustafa.
O mesmo cara, brincou com ele dizendo:
- Depois do enterro, somam todas as despesas do velório e dividem com quem assinou.
Mustafá ficou inconformado, ia pra lá e pra cá, de olho no livro, até que quando viu que ninguem estava por perto, correu lá, achou seu nome e escreveu na frente: PAGO!

PAPAGAIOS
Joaquim viu pela primeira vez um papagaio e perguntou ao dono da ave:
-Como é que eles nascem coloridos?
-Eu dou tinta para ele beber por isso ele é colorido!
-Mas isso funciona com pessoas? Perguntou Joaquim.
E pra sacanear com o Joaquim ele respondeu:
-Funciona sim!
Ai o Joaquim disse:
-Então vou dar tinta branca para minha mulher, pois ela já ficou grávida cinco vezes e só teve criolinhos!

APOSENTADOS
Na cidadezinha, os velhinhos aposentados todas as manhãs se encontravam na praça da Matriz para conversar.
- Eu ainda dou uma por semana, disse um.
- Eu, duas por semana, replicou outro.
- Sou mais modesto, uma por mês, disse um terceiro
A conversa ia se desenvolvendo, mas tinha um que não dizia nada.
- E você? Quantas dá?
-Ele diz: estão vendo aquela árvore ao lado da igreja? Uma vez por ano, escondido, descasco um pouco do tronco, faço um chá e depois de uma hora consigo fazer amor com a minha velha a noite toda.
No outro dia todos estavam lá quando o velhinho do chá exclamou admirado:
- Nossa! Arrancaram a árvore da minha salvação...

DECRETOS
Dirceu informou que em Portugal, nas cidades do interior, a maioria da população são de idosos. Os jovens saem todos para a capital ou outros países para estudar.
Preocupado com isso, o governo resolveu aumentar a taxa  de natalidade através de um decreto onde ordenava as pessoas a fornicarem mais. O nome do decreto era: “Fornicação Obrigatória por Despacho Administrativo”. Sigla: F.O.D.A. Daí a origem da palavra.
Por sua vez, quem fosse solteiro ou viúvo, tinha que ter na porta a frase: “Processo Unilateral de Normalização Hormonal por Estimulação Temporária Auto-induzida”. Sigla: P.U.N.H.E.T. A.

PAÍS QUEBRADO
O governante de um País em comício dirige-se ao seu povo:
- Cumpanheros, como sabem o País está quebrado, vamos ter que trabalhar muito. Para isso, vocês vão ter de trabalhar 48 horas por dia, sim?
- Não! Não! Não! – grita o povo numa única voz.
Um trabalhador chama a atenção do governante:
- Mas Sr, o dia  tem só 24 horas.
- Eu sei, mas vocês terão  que trabalhar também durante a noite…

BOLA DE GUDE
O Joãozinho foi com o seu amigo ao médico:
- O que querem?
E o Joãozinho respondeu:
- Doutor, eu engoli uma bolinha de gude!
- E o seu amigo, o que quer?
- Está só esperando, a bolinha era dele!

PEGADA DO TIO JANJÃO
Quando sua mulher vai ao supermercado, você pede a ela catchup?

GRAVIDEZ DA IDOSA
Como todos sabem, a gravidez na terceira idade  é uma realidade. Com toda esta nova tecnologia recente sobre a fertilidade, uma senhora de 78 anos foi capaz de dar à luz um menino. Quando ela teve alta, foi para casa, e seus familiares e amigos vieram visitá-la.
- Podemos ver o novo bebê?
- Ainda não - disse a mãe. - Vou fazer um café e poderemos conversar um pouco antes.
Trinta minutos se passaram e um outro perguntou.
- Vamos ver o bebê agora?
- Não, ainda não - disse a mãe.
Depois de mais alguns minutos, perguntaram de novo:
- Podemos ver o bebê?
- Não, ainda não. - respondeu a mãe.
Já meio impacientes, eles perguntaram:
- Bem... então quando poderemos ver o bebê?
- Quando ele chorar!
- Quando ele chorar? E por que temos que esperar ele chorar?
- Porque eu me esqueci onde o coloquei!

PAPO DO FRANGO
Lá no interior o Zezin ia na casa da namorada de cavalo. Um dia, esqueceu de colocar a cueca e no caminho, a calça rasgou em baixo e ele nem percebeu.
Na casa da moça as cadeiras eram de palha e a maioria ficava gasta criando um buraco no meio. Pois na hora da janta, Zezin sentou-se numa cadeira dessas e com a calça rasgada o saco desceu pelo buraco da cadeira.
Joãozinho, irmão da namorada, deixa cair o garfo e ao abaixar-se vê aquele negócio pendurado e cochicha para a irmã:
-Ih, voces mataram o frango mas deixaram o papo dele pendurado na cadeira...
A moça, nervosa diz pra ele:
-Disfarça, vai debaixo da mesa e dá uma garfada no papo e joga fora.
O coitado do Zezinho tá correndo até hoje...

CAPITÃO BRAVO
Há muitos anos, viveu um lobo do mar, conhecido como o Capitão Bravo.
Era muito valente e jamais teve medo de qualquer inimigo. Um dia, navegando pelos sete mares, o vigia viu que se aproximava um barco pirata. O Capitão Bravo gritou:
- TRAGAM-ME A MINHA CAMISA VERMELHA!
E vestindo-a, ordenou aos seus homens:
- Ataquem e destruam estes malditos piratas!
E assim foi feito. Alguns dias mais tarde, o vigia viu dois barcos piratas. O Capitão pediu novamente sua camisa vermelha e a vitória voltou a ser sua.
Nesse dia, seus homens perguntaram porque ele sempre pedia a camisa vermelha, antes de entrar na batalha.
- Se eu for ferido em combate, a camisa vermelha não deixará que meus homens vejam meu sangue, e todos continuarão lutando sem medo.
Todos ficaram maravilhados diante daquela declaração de coragem do comandante.
Ao amanhecer do dia seguinte, o vigia viu DEZ barcos piratas que se aproximavam.
A tripulação, assustada, dirigiu os olhos para o Capitão, e ele, com sua voz potente e sem demonstrar medo gritou:
- TRAGAM-ME A MINHA CALÇA MARROM!